14 Fatos Que Você Deveria Saber Sobre Minerais

 

1 – Um mineral é uma substância de ocorrência natural, representável por uma composição química, é geralmente sólido e inorgânico, e tem uma estrutura cristalina.

2 – A definição exata de mineral está sob debate, especialmente no que se diz respeito ao requisito de ser abiogênico, e em menor proporção, com relação a possuir uma estrutura atômica ordenada.

3 – Existem cerca de 5.300 espécimes minerais conhecidas e 5.070 já aprovados pela Associação Mineralógica Internacional (IMA).

Fluorita da mina de Denton, Hardin, Illinois, EUA. Créditos de James Elliott

4 – Os minerais do grupo dos silicatos compõe cerca de 90% da crosta terrestre. O silício e oxigênio constituem aproximadamente 75% da crosta da Terra, o que mostra a predominância dos minerais silicáticos na Terra.

5 – Minerais podem ser descritos através de várias propriedades físicas que estão relacionadas às suas composições e estruturas químicas. Características comuns de distinção incluem a estrutura e o hábito cristalino, dureza, brilho, diafaneidade, cor, traço, tenacidade, clivagem, fratura, partição, e densidade. Testes mais específicos incluem magnetismo, gosto ou cheiro, radioatividade, e reação com ácidos.

6 – Os minerais não silicatados são subdivididos em várias outras classes de acordo sua química predominante, sendo eles, os elementos nativos, sulfetos, haloides, óxidos e hidróxidos, carbonatos e nitratos, boratos, sulfatos, fosfatos, e componentes orgânicos. A maioria dos minerais não silicatos são extremamente raros (constituindo um total de 8% da crosta terrestre), embora alguns sejam relativamente comuns, como a calcita, a pirita, magnetita e a hematita.

Azurita, Bisbee, Arizona

 

7 – A unidade básica de um silicato é o tetraedro (SiO4) -4. Na grande maioria dos casos, o silício está no centro de um tetraedro coordenado ligado com 4 oxigênios.

8 – Minerais não são rochas. Uma rocha é um agregado de um ou mais minerais, ou não é composta totalmente por minerais.

9 – A abundancia e diversidade dos minerais são diretamente controladas pelas suas composições químicas, dependendo, assim, da abundância dos elementos químicos da Terra.

Calcopirita convertendo em Calcocita. Mina de Daye, China. Foto de Jonh Veevaert.

 

10 – A maioria dos minerais observados são derivados da crosta terrestre.

11 – Oito elementos representam a maioria dos principais componentes minerais devido suas abundancias na crosta. Estes oito elementos, somam em peso, mais de 98% da crosta, os quais são, em ordem decrescente de abundância: oxigênio, silício, alumínio, ferro, magnésio, cálcio, sódio, e potássio.

Wulfenita e Mimetita. Mina de Ojuela, Mapimí, México. Créditos: Montanpark

12 – Diferenças na estrutura cristalina e composição química tem grande influência nas propriedades físicas do mineral. Os alótropos diamante e grafita por exemplo, possuem grandes diferenças de propriedades.

13 – Três principais grupos de minerais são identificados com base nas suas propriedades de cor: Idiocromáticos, alocromáticos, e pseudocromáticos.

  • Idiocromáticos: São minerais de cores próprias, constantes, devido sua composição química. A cor é um componente constante e previsível do mineral. Exemplos: Azurita azul, Cinábrio vermelho, e Malaquita verde.
  • Alocromáticos: Minerais possuem cores diferentes devido a presença de impurezas na sua composição química ou defeitos na sua estrutura cristalina. Neste caso, a cor é uma propriedade variável e imprevisível do mineral. Exemplos: Amazonita azul (ortoclásio), Amarelo no berílio, e rosa no quartzo rosa.
  • Pseudocromáticos: Minerais que possuem cores falsas por difratarem a luz. Desta forma, a cor, apesar de variável, é uma propriedade única do mineral. Exemplos: Cores produzidas por opalas preciosas e a labradorescência da labradorita.

14 – Alguns minerais podem mudar de cor dependendo do ângulo de incidência da luz. Nestes casos, as cores dos minerais mudam quando vistas sob diferentes fontes de luz, como a luz solar e luzes artificiais. Mas em casos de gemas como a Alexandrita e a Zulanita, a mudança de cor não se limita a apenas duas cores básicas, podendo mostrar ilimitadas cores dependendo do ângulo e da fonte de luz.

 

Nota: A matéria veiculada acima é uma tradução livre da matéria postada pela Geology In.

 

Siga-nos: Geologando no Facebook | Geologando no Instagram

 

Deixe seu comentário